13 de out de 2011

A andorinha voou, voou

Bom, amanhã completo 1 mês de saída do meu trabalho.

Não falava com detalhes sobre ele aqui porque não convinha, já que acabei por assumir um papel "público", porque todo dia acontecia alguma coisa (e isso aqui ia acabar tornando-se um diário) e por não concordar em expor 80% do meu dia (porque era esse o tempo que ele consumia) aqui.

aí que estou há 1 mês ouvindo questionamentos, suposições, dúvidas, comentários indesejados e felizmente, palavras de apoio. e logicamente, junto com tudo isso, me veio a sensação de impotência, fraqueza, luto, auto-flagelação e mais um monte de coisa ruim. me assustei com as mais diversas reações, com o carinho que esperava e recebi um tapa; com o tapa que eu esperava e me veio como carinho.
.
.

[ você pode estar pensando: ah, paula, que drama... era só um trabalho! ]
~ meu trabalho foi minha vida por 4 anos, meu caro. me dei de corpo, alma, coração, disposição, força, horas de sono e lazer. e tava feliz com isso. me realizava com isso profundamente. então, fica na tua que só entende da dor aquele que passa por ela. ~
~ o grande lance é que o dia da minha saída (que eu via como um tanto distante) chegou numa lapada, que doeeeu ~acabei de me deparar com isso aqui no messager do facebook:
eii
tu saiu do ******** ********* neh?
ou naow
saí sim
tudo bom?
huauhuauha
aí me diz, eu guento?! o que importa realmente é o cargo que você assume, e não quem você é? ~~
.
.
tenho muito orgulho do trabalho que fiz, das amizades que conquistei, tudo realizado com muita honestidade e compromisso (obrigada, pai e mãe); assim como sou muito grata à todas as oportunidades que me foram dadas.

mas o negócio agora é eu conseguir cortar de vez esse laço.
sei que tenho tenho de me organizar logo (e essa aflição me deixa maluca), saber o que faço primeiro (se vou pra fora do estado ou do país), quanto custa a vontade, o que fazer em caso de emergência, etc, etc, etc. mas antes de tudo, eu queria esvaziar mente. assim, como quem esvazia um balão.

esvaziar pra encher.
vida louca, coração bola, coração balão.



2 comentários:

Sanmya disse...

a gente se ilude dizendo: 'já não há mais coração'

mas que tem, tem.
e lá vamos nós
beijocas

Maria Clara disse...

A vida consegue ser chata às vezes...



Ainda bem que é só às vezes.